» Meditação
Meditação

Meditação: dicas para viver no momento presente

21/06/2017

Meditação é mais simples do que parece | Como meditar | Jornada Zen #jornadazen

Sempre gostei de meditação, mas tinha dificuldade para meditar. Achava lindo sentar em lótus, fazer uma postura com a coluna alinhada e fechar os olhos, mas no fundo, achava que aquilo não era pra mim. Ariana que sou, com a mente agitada, meus pensamentos vagavam por um limbo que sabe-se lá onde estavam. Definitivamente, meditar não era pra mim.

Assim como eu pensava, muitos podem ter a ideia de que a meditação combina com ambientes monásticos, pessoas austeras e muita seriedade. Mas eu vou contar uma verdade a vocês: a meditação, quando passa a fazer parte da sua rotina, se torna divertida, um lugar de paz para o qual queremos voltar sempre.

Não vou dizer que é fácil, que não sentimos câimbra nas pernas, que tem dias que queremos apenas nos levantar e fazer as tarefas do dia. Mas também não é verdade que meditar é pra quem já é zen, tranquilo. Assim como pessoas praticam musculação para fortalecer a musculatura aos poucos, a meditação também deve ser uma prática diária para que possa tornar-se uma rotina. Após um bom tempo praticando a meditação, hoje venho trazer alguns tópicos para esclarecer algumas dúvidas comuns sobre meditar.

Principais dúvidas sobre a meditação:

1. Meditação não é religião. Embora associado ao budismo e hinduísmo, quando você interioriza seus pensamentos, volta para si e traz sua mente para o momento presente, você está meditando. Porém, se você é religioso e reserva um momento para fazer suas orações, também é uma forma de meditação. A meditação faz parte de algumas religiões mas é uma ferramenta, uma técnica que pode ser feita independentemente de crenças.

2. Não precisa de muitos preparos. Esqueça aplicativos, meditações guiadas, CDs, músicas para meditação, almofadas especiais ou roupas próprias. Meditação é simples, basta sentar-se confortavelmente, alinhar sua coluna, fechar os olhos e trazer a atenção para a sua respiração. Pronto, o primeiro passo já foi dado.

3. Não encare como um desafio. Se você já senta-se pensando que vai ser um tormento ficar os próximos 5 minutos sem fazer nada, você vai passar 5 minutos agoniado para acabar logo. Vá sem expectativas, apenas sente-se e tranquilize sua mente. Se quiser, coloque um alarme ou contador com o tempo que achar necessário, mas não se prenda a isso. Deixe o tempo fluir.

4. Existem diferentes técnicas de meditação (com mantras, cantando, ouvindo sons etc.) mas no começo, tente apenas reservar diariamente um momento só seu, em silêncio. Caso fique muito difícil concentrar-se com os olhos fechados, experimente acender uma vela à sua frente e observar o movimento da chama.

5. Comece devagar. Você não precisa começar com o tradicional Zazen por 30 ou 45 minutos. Experimente 5 minutos no começo. Vai ser difícil, sim, eu sei. Porém, com o tempo, você perceberá que 5 minutos passam voando, e quando se der conta, 10 minutos já terão passado. Não se cobre, não tenha pressa, aumente seu tempo de meditação de acordo com seu progresso, com sua disponibilidade. É melhor meditar todos os dias 5 minutinhos do que se comprometer a fazer uma longa meditação diária e parar no segundo dia.

Meditar ajuda a trazermos a mente para o agora

Quando vivemos no passado, a tendência é que nos tornemos pessoas angustiadas, deprimidas, pensando no que poderia ter feito e não fizemos. Pensando nas pessoas que nos magoaram, e então carregamos em nossa mochila da vida um grande peso o qual não precisamos carregar. Quando vivemos no futuro, nos tornamos ansiosos, tentando antecipar os fatos que ainda não aconteceram.

Nestas duas situações, nos desconectamos do momento presente, do aqui e agora, o único momento em que nossas vidas de fato acontecem. Não é errado, no entanto, recordar do passado nem planejar o futuro. A questão é que quando nos desconectamos da nossa vida no agora, saímos do estado de atenção plena e a vida passa por nós de forma automática.

Experimente hoje, agora, apenas fechar os olhos e prestar atenção no ar que entra e sai pelas narinas. Alinhe sua coluna, relaxe suas mãos sobre suas pernas e apenas respire. A meditação é uma ferramenta muito poderosa que nos traz de volta ao estado Mindfulness, ou atenção plena. Toda vez que se sentir desconectado de sua realidade, traga sua mente para o agora. Não deixe sua vida passar diante seus olhos, perceba os detalhes, os pequenos momentos. Valorize o seu momento, pois a única coisa que temos é o agora.

E você, pratica meditação? Já experimentou? Quais suas dificuldades? Compartilhe aqui conosco nos comentários!

imagem: Pixabay

Compartilhe...
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter
Meditação

A importância da meditação

21/01/2015

Quando falamos em meditação, tenho certeza de que a primeira imagem que lhes vêm à mente são de monges budistas em total silêncio morando num templo no topo dos Himalaias. Estou errada? No entanto, a prática da meditação pode ser aplicada no nosso dia-a-dia urbano e agitado, sem que precisemos mudar nosso estilo de vida nem viver como um ermitão.

A meditação atua como um silenciador de nossas mentes. Se pararmos para observar o fluxo dos nossos pensamentos, podemos perceber que não paramos de pensar nem um segundo, e que um determinado assunto puxa outro, que puxa outro, e no fim, percebemos que não há uma lógica de raciocínio. A consequência de uma mente “tagarela” é que mal conseguimos nos concentrar, e acabamos não tendo o controle sobre nossos pensamentos, sendo alguns deles destrutivos e prejudiciais.

No momento em que nos sentamos – nem que seja por 10 minutos – e prestamos atenção à nossa respiração, conseguimos nos desligar um pouco do mundo externo e somos capazes de acompanhar o fluxo dos nossos pensamentos. Sei que no começo é difícil silenciar essa vozinha que não para de falar, mas com a prática, conseguimos nos distanciar dela nos tornando meros observadores do que nossa mente é capaz de produzir. Precisamos deixar que pensamentos venham, mas também deixá-los ir sem apego.

Como começar a meditar?

Para começar a meditar, não é necessário se converter ao budismo, hinduísmo, nem usar roupas especiais ou encontrar um lugar especial para praticar. O que precisamos, na verdade, é apenas voltarmos para nós mesmos e transformarmos o momento caótico em que vivemos em um instante de paz e serenidade. A meditação pode ser praticada, inclusive, em ambientes de trabalho, no ônibus ou entre as aulas da faculdade. Sentar-se com a coluna ereta e desligar-se do mundo por alguns minutos é como pisar no freio em meio a uma rotina corrida. É presentear-se com uma mente serena e conseguir agir com mais tranquilidade, até mesmo para tomar aquela decisão difícil no dia que tanto nos perturba.

Os vários tipos de meditação

Há diversos tipos de meditação, é verdade. Algumas utilizam o silêncio absoluto tentando esvaziar a mente dos pensamentos, outras são acompanhadas de cânticos de mantras, mas também há aquela meditação que é simplesmente estar presente no momento enquanto realizamos nossas atividades diárias, mesmo que seja quando lavamos a louça do jantar. Quanto mais nos concentrarmos na atividade que estamos realizando no momento, mais conscientes ficamos e melhor realizamos nossas tarefas.

É verdade que dificilmente nossos pensamentos estão focados no presente. Geralmente nos encontramos remoendo fatos do passado ou preocupados com algo que precisamos fazer no futuro. Concentrar-se no presente, portanto, é um tipo de meditação que nos ajuda a viver de forma plena cada momento e a saber tomar decisões a cada minuto que vivemos. Afinal, só há um tempo em que algo pode ser feito, que é o agora.

Desligue-se!

Que tal desligar-se por 5 ou 10 minutos, fechar os olhos e acompanhar o fluxo da respiração? Tente respirar lenta e profundamente acompanhando – como um observador externo – que tipos de pensamentos surgem em sua mente. Deixe que eles sigam seu próprio caminho e não se apeguem a eles, apenas continue consciente da respiração, observando pensamentos virem e irem, reparando na sensação do ar que entra e sai das narinas e vivendo o momento presente. Abra os olhos no final e observe à sua volta cada detalhe. Conte-me depois sobre sua experiência. Tenho certeza que esses minutos vão te trazer muito bem-estar.

Compartilhe...
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter